fbpx

Otimismo sobre ETF de volta, Bitcoin mira US$ 60 mil e mais assuntos que vão movimentar o mercado de criptos hoje

Valkyrie Investments, uma das primeiras na fila de aprovação da SEC, atualizou documentação dando ensejo a novas especulações sobre listagem de ETF nos EUA

SÃO PAULO – Expectativas renovadas para a aprovação do ETF de futuros de Bitcoin (BTC) dão novo fôlego ao rali da criptomoeda, que já acumula alta de quase 40% em duas semanas. A Valkyrie Investments, uma das primeiras na fila de aprovação para ETF de Bitcoin na Comissão de Valores Mobiliários dos EUA (SEC, na sigla em inglês), atualizou a documentação do produto, apontando que a listagem pode estar próxima.

Após disparar para US$ 58 mil e cair para menos de US$ 55 mil ontem, a moeda digital volta a subir e se aproximar dos US$ 60 mil, última barreira rumo à máxima histórica de quase US$ 65 mil. Às 7h03 desta quinta-feira (14), o BTC era negociado a US$ 57.506.

Um fundo de índice de Bitcoin é visto como uma porta de entrada para uma nova leva de investidores no criptoativo, e como possível catalisador para uma valorização expressiva da criptomoeda no último terço do ano, período marcado historicamente por movimentos de alta da criptomoeda.

A perspectiva agrada investidores institucionais, que vêm intensificando compras há pelo menos três semanas, conforme sugerem dados coletados de transações de grande porte diretamente da blockchain.

Segundo o analista Ki Young Ju, da CryptoQuant, US$ 186 bilhões em Bitcoin foram movidos apenas nesta quinta, dando ensejo a um possível movimento de antecipação à aprovação do ETF.

Dessa vez, o movimento de alta se expande para boa parte do mercado e puxa consigo diversas altcoins que vinham em baixa ou em estabilidade nos últimos dias. Esse é o caso, por exemplo, da Polkadot (DOT), que dispara 17,9% após anúncio de um novo leilão de parachains, redes paralelas à principal que distinguem o protocolo de demais soluções rivais do Ethereum (ETH) para execução de contratos inteligentes.

No entanto, a que tem o melhor desempenho por enquanto é a Telcoin (TEL), uma criptomoeda voltada para o mercado de operadoras de telefonia que valoriza quase 30% nas últimas 24 horas.

Decentralized Social (DESO), Ecomi (OMI) e Harmony (ONE) são alguns dos poucos criptoativos registram quedas nesta manhã – nenhuma de dois dígitos.

Expectativa por ETF de Bitcoin volta a ganhar força

A esperança pela aprovação do fundo de índice de Bitcoin nos EUA ressurgiu nas últimas horas após a empresa de serviços financeiros Valkyrie Investments atualizar a documentação da sua proposta de ETF submetida à Comissão de Valores Mobiliários dos EUA (SEC), adicionando o código de negociação BTF.

Para o analista de ETFs da Bloomberg, Eric Balchunas, a medida é uma evidência de que o produto poderá ser aprovado em breve, afastando rumores de que uma resposta viria apenas em 2022.

O ETF da Valkyrie é um dos que trazem maior expectativa por aprovação, pois seria o segundo na fila de pendências da SEC e o primeiro focado apenas em futuros, algo que agradaria reguladores.

Ainda assim, Balchunas não descarta a possibilidade de que um ETF da ProShares receba aval regulatório na frente – mais especificamente, já na próxima segunda-feira (18). Projeções da Bloomberg apontam que o ETF da Valkyrie seria liberado uma semana depois, no dia 25.

Por outro lado, analistas estimam ainda 25% de chances de negativa, algo que poderia potencialmente iniciar um movimento de correção de preços no curto prazo.

EUA ultrapassam China na mineração de Bitcoin

Os Estados Unidos ultrapassaram pela primeira vez a China em participação na mineração de Bitcoin.

De acordo com o Cambridge Center for Alternative Finance, os EUA agora concentram um terço (35,4%) do hashrate do Bitcoin, indicador que mede o poder computacional dedicado à rede de validação da criptomoeda.

O número cresceu 428% em relação a setembro de 2020, apontando que a rede global de mineradores foi capaz de se organizar e voltar a operar com relativa normalidade após a repressão à atividade na China a partir de maio deste ano.

“Toda a narrativa de que a China controla o Bitcoin agora está completamente destruída”, disse Boaz Sobrado, analista de dados fintech de Londres, à CNBC.

Vladimir Putin diz que criptos poderão ser usadas para liquidação e poupança

O presidente da Rússia, Vladimir Putin, disse em entrevista recente que as criptomoedas são muito novas, mas que esta classe de ativos poderá servir um dia unidades de liquidação de pagamentos e para poupança

Em tom indeciso sobre criptos, Putin também mencionou uma crítica comum às moedas digitais, afirmando que elas não possuem lastro, mas apontou que “tudo tem o direito de existir”. “

“Vamos ficar atentos à tendência de desenvolvimento das criptomoedas, que também podem se tornar um meio de poupança em algum momento. Vimos como o mercado flutua e ainda é cedo”, pontuou

Putin se alinha a parte dos reguladores mundiais, como o presidente da SEC, Gary Gensler, ao separar a tecnologia do investimento ao tratar de Bitcoin e outras criptos.

A Rússia tenta manter forte controle sobre o mercado de criptomoedas e estaria preparando um marco regulatório para o setor. Entre as preocupações do governo do país estariam principalmente o uso de moedas digitais para lavagem de dinheiro.

Banco da Inglaterra volta a pedir regulação de criptomoedas por risco de “derretimento”

O vice-diretor de estabilidade financeira do Bank of England (BoE), Jon Cunliffe, alertou para um possível risco de “derretimento” do mercado de criptoativos comparável à crise de 2008 após o estouro da bolha imobiliária nos EUA.

Em fala na última quarta-feira (14), Cunliffe criticou o crescimento acelerado do valor de mercado dos criptoativos, que saltou de US$ 16 bilhões para US$ 2,3 trilhões em cinco anos, e comparou com o mercado de US$ 1,2 trilhão subprimes de hipotecas que desabou e ocasionou o crash das bolsas mundiais há 13 anos.

“Quando algo no sistema financeiro está crescendo muito rápido, e crescendo em um espaço amplamente não regulamentado, as autoridades de estabilidade financeira precisam sentar e prestar atenção”, disse ele.

O executivo do banco inglês disse ainda que as criptomoedas são “perigosas”, “não têm valor intrínseco e são vulneráveis ​​a grandes correções de preços”, o que as tornaria uma ameaça à estabilidade financeira global.

O discurso ajuda a engrossar o coro pela regulamentação do mercado de criptoativos, algo visto como inevitável na Europa, onde várias agências que supervisionam o mercado de capitais emitiram alertas consecutivos à Binance, a maior corretora de cripto do mundo.

(Com CNBC)

Entre em contato conosco: (11) 99332-0861 | Rua Amazonas, 439 CJ 45 – São Caetano do Sul XP (ABC) | Av. Ibirapuera, 1753 – XP Moema – SP.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Abrir chat
Em que podemos ajudar?
Olá 👋
Podemos te ajudar?